quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Meio Dia...Meia Noite

Eu olho nos olhos do meu povo sofrido.
Nas ruas, nos trens, em cada esquina,
e fotografo a vida que se revela mente divina,
perfeita; e que se oculta em meio ao caos,
no limite da loucura:

ali, onde a sanidade é uma conquista dos deuses
e dos homens, e onde o sonho e o pesadelo se misturam,

na exata proporção que faz nascer o sol todos os dias.

Eu olho meus olhos no espelho,
e sinto o tempo do mundo pulsando em mim,
pleroma que anseia, o todo,
ampulheta e areia que se fundem,
e se reviram num movimento sem fim.

Eu caminho pela noite há milênios,
amazonas de uma alma que se repete em mim,
e revelo no meu sangue a roda da fortuna.
A vida una,
e me espraio pelos quatro cantos do ser.

Eu sou o abismo dos muitos olhos.
Eu sou o éden, a cura, alma sã.
Sou o espectro das sete cores,
sou a fome, e trago nos abismos de mim mesmo o nome,
mistério por revelar-se ad eternum, neste afã.

Eu sou a mater, o espírito, a montanha, o abismo, a luz,
a treva, a action e o mais profundo repouso.
Sou o mar revolto, a terra firme e ouso
ser a libertadora!
Com a enxada na mão preparo a terra,
e transformo em frutos do amor os trabalhos do vingador!

Eu sou o tempo,
e escorro para o próximo momento,
inexoravelmente.
Mãos ocultas me reviram e fertilizam meu solo,
e então eu torno, começo, termino e cresço
e torno mais uma vez, novamente!

Eu sou a criança, o velho, o homem, a mulher,
a natureza, o outro lado da meia noite,
e o meio dia!

Eu sou o cetro e o açoite.
E sou a vida que caminha passo a passo,
lentamente,
calmamente,
através das experiências, que cada um requer,
e que sem folgas e como uma luva vai chegando ao um!
Inexoravelmente...

Maria Flor ჱܓ

9 comentários:

  1. Menina que lindo! Libertador! Forte! Adorei parabéns!
    O primeiro post que fiz foi sobre a individuação que escrevi lá em 2002.Postei em dezembro de 2008.Tem na essencia os contrários. Somos seres muito corajosos, fortes e ao mesmo tempo tão frágeis...Continue sendo essa poetisa com sentimentos tão claros e nobres.

    ResponderExcluir
  2. lindo .maravilhoso Flor.. eu te falo sempre mas vou falar de novo..vc é fantástica.. precisa escrever um livro e logo.. tem muito talento aí para mostrar.. parabéns..beijo..beijo..beijo

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pela visita tão carinhosa. Acredito em sintonia, em sincronicidade. Nossas almas estão juntas na mesma caminhada. A busca de nos mesmas pra partilhar amor. bjs amiga

    ResponderExcluir
  4. Maravilhoso, você escreve muitoooo!!
    Poetisa sensível, profunda e com um
    talento ímpar.
    Hummm...como é bom ler você!
    Bjos,
    Renata Mangeon

    ResponderExcluir
  5. Florrrrrrrrrrrrr...MARAVILHOSO!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Olá Maria Flor!

    Por essa janela virada para o mar
    consigo ver a ambiguidade do que sou
    o mesmo Ser que sabe o que é amar
    mesmo odiando, pela vida se apaixonou

    Seus poemas são, para além de belos, bastante induzidores de reflexão. Bom fim de semana. Beijos

    ResponderExcluir
  7. Flor tem um selo no meu blog para vc..beijão

    ResponderExcluir
  8. Rsss...acho que escolhi igual,
    tem um selo prá vc no meu blog
    prá vc de presente rsrs..

    Bjosssss

    Renata

    ResponderExcluir
  9. Flor

    Lindo! Arrebatador!

    Liberta a gente e deixa um gosto de quero mais...

    Parabéns pelo texto visceral!

    ResponderExcluir

Uma Florჱܓ com carinho